• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}

O futuro da energia hidroelétrica é digital

5 min.

O futuro da energia hidroelétrica é digital

La arquitectura Big Data Hydro de Enel Green Power va a permitir maximizar el rendimiento de las plantas hidroeléctricas e identificar rápidamente cualquier fallo mediante técnicas de análisis estadístico.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

A inovação viaja rápido na Enel Green Power, mesmo para tecnologias mais que centenárias. A energia elétrica, apesar de ser a fonte de energia renovável mais antiga, continua em sintonia com o presente graças a novas técnicas de otimização das usinas e de manutenção preditiva.

Cada uma das nossas usinas gera diariamente uma quantidade infinita de números e dados sobre sua atividade que até agora estavam disponíveis apenas localmente e em séries históricas muito breves. Assim, não era possível realizar análises estatísticas capazes de identificar desvios do correto funcionamento ou análises cruzadas de dados de operação e manutenção.

 

"Em dezembro de 2016, aprovamos o projeto Big Data Hydro, que foi lançado oficialmente em janeiro do ano seguinte. A Enel Green Power investiu um total de 2,5 milhões de euros."

 

A iniciativa visa melhorar e maximizar a atividade de toda a frota hidroelétrica da EGP. Através da arquitetura Big Data Hydro, utilizamos os dados de funcionamento das nossas usinas para otimizar o seu exercício e identificamos rapidamente qualquer problema de funcionamento com o uso de técnicas de análise estatística.

 

Uma abordagem concreta e gradual

Escolhemos testar o projeto Big Data Hydro em cinco usinas-piloto na Itália (Soverzene, Presenzano, Nazzano, Isola Serafini e Eume) que, juntas, representam cerca de 2% da nossa frota em termos de geração de eletricidade e rentabilidade. Usinas importantes do nosso parque, que permitirão a avaliação dos benefícios concretos da abordagem proposta.

Todas as informações coletadas nas centrais são enviadas para a nossa plataforma na nuvem, um “Data Lake” capaz de receber e catalogar uma grande quantidade de dados e que também recebe os demais bancos de dados relacionados aos custos e à manutenção das nossas usinas. No Data Lake são aplicados, então, algoritmos estatísticos e de Big Data para maximizar o desempenho operacional e minimizar os custos de gestão das usinas.

 

"No dia 18 de maio foi alcançada a primeira meta do projeto, 12 dias antes do previsto: a conexão da usina de Soverzene com o Data Lake."
 

Os primeiros benefícios

Enquanto concluímos a conexão de todas as usinas-piloto com o Data Lake graças à nossa unidade ICT, os nossos colegas da unidade de Operation & Maintenance já começaram a utilizar os dados disponíveis na nuvem para criar visualizações do funcionamento das usinas em tempo real. Desta forma, os operadores podem ter acesso usando um computador ou smartphone, descobrindo rapidamente, em caso de alarme, o que está acontecendo e como intervir. Mais uma prova do valor da digitalização e da conectividade aplicada às nossas usinas.

 

"O projeto Big Data Hydro continua a todo vapor. Nosso objetivo é conectar todas as usinas-piloto ao Data Lake até outubro."


A partir do final de 2017 e ao longo de 2018, aplicaremos as técnicas estatísticas e de Big Data aos dados das nossas cinco usinas-piloto e mediremos os benefícios concretos obtidos. Se os resultados forem conforme esperados, iremos conectar toda a nossa frota hidrelétrica ao Data Lake no mais breve tempo possível para capitalizar, desta forma, o know-how desenvolvido com o projeto Big Data Hydro.

Este site usa cookies analytics e de perfilamento, próprios e de terceiros, para enviar-lhe publicidade de acordo com as suas preferências. Se quiser saber mais ou optar por excluir todos ou alguns cookies, consulte a política de cookies. Aceite e feche