• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}

Na África, a energia da Enel Green Power está a serviço da saúde

3 min.

Na África, a energia da Enel Green Power está a serviço da saúde

Da Etiópia à África do Sul, a Enel Green Power ajuda pequenas e grandes comunidades a obter atendimentos médicos mais rápidos, seguros e modernos. Em Uganda, por exemplo, ela está ao lado da EMERGENCY na realização de um projeto hospitalar de excelência projetado pelo renomado Renzo Piano.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Quarenta e dois dias. Até pouco tempo atrás os habitantes de Paleisheuwel – uma pequena comunidade agrícola no Cabo Ocidental, África do Sul – tinham que esperar pelas visitas de um ambulatório móvel. 

A alternativa? Viajar cerca de 50 km a pé e às próprias custas até a cidade mais próxima para conseguir uma consulta ou até mesmo para comprar medicamentos de uso comum.

Desde julho de 2019 isso já não acontece mais: os habitantes desta comunidade podem usufruir diariamente do Sandveld Health Centre, o centro de serviços médicos básicos, inaugurado pela Enel Green Power em colaboração com a CMAN (CEDERBERG Matzikama Aidf Network).

 

Energia verde para a saúde

O Sandveld Health Center não é o único exemplo do foco da Enel Green Power no atendimento médico das comunidades. Ainda no continente africano, numa área desértica de Entebbe, Uganda, a EGP contribui para a completa autossuficiência energética do Centro de Excelência em Cirurgia Pediátrica da EMERGENCY, um projeto liderado pela organização composta por diversos italianos célebres, incluindo o arquiteto Renzo Piano,  responsável pelo projeto.

O Centro de Excelência em Cirurgia Pediátrica faz parte de um projeto mais amplo da ANME (African Network of Medical Excellence), criado em 2009 por iniciativa da EMERGENCY com o objetivo de levar serviços de saúde gratuitos e de excelência à África, contribuindo para reduzir a mortalidade infantil em Uganda e nos países vizinhos.

A estrutura, situada no lago Victoria, é feita em terra batida – uma técnica tradicional de construção que usa terra crua, garantindo uma inércia térmica que manterá a temperatura e a umidade constante – para a qual a Enel Green Power forneceu 2.600 módulos fotovoltaicos de película fina a fim de gerar um total de 289,24 KWp, suficientes para garantir a autonomia energética do edifício. O uso da terra crua garante a sustentabilidade na fase de implementação do projeto, minimizando o impacto ambiental. Ao mesmo tempo, a presença de painéis fotovoltaicos regula a produção de eletricidade de todo o edifício, atendendo suas necessidades energéticas. O espaço verde é um elemento importante para o bem-estar psicofísico dos pacientes e desempenha um papel fundamental no processo de recuperação e cura. Por esse motivo, para o acabamento do edifício, nascido da terra e mantido vivo pelo sol, o projeto inclui um grande jardim com centenas de árvores.

 

"A energia é um direito fundamental para todos. Garante o acesso aos benefícios que são essenciais ao indivíduo, como aquele da saúde."

– Suelen Quadri, Chefe de Sustentabilidade da África do Norte e África Central

 

Na Etiópia, em Wolisso, cidade de 50 mil habitantes a sudoeste da capital Adis Abeba que já contava com uma estrutura hospitalar, a intervenção da Enel Green Power permitiu assegurar um fornecimento constante de energia ao hospital. Há alguns meses, no hospital St. Luke, entrou em serviço um inovador sistema híbrido composto pelos sistemas fotovoltaico e de baterias que acabou por sanar os problemas de interrupção no funcionamento de máquinas salva-vidas.

Também no Zâmbia, África meridional, algumas semanas após o início das operações do parque solar fotovoltaico de Ngonye, de 34MW – o primeiro do país – a Enel Green Power criou um valor compartilhado. A Chisankane Clinic, que presta assistência médica diária a 11 aldeias do vilarejo, passou por uma reforma completa, a exemplo da Escola Shantumbu, frequentada por 1700 alunos que agora podem estudar em um ambiente mais acolhedor.

 

Desenvolvimento sustentável e "Nexus"

Saúde e energia também estão vinculadas ao "Nexus" água-comida-alimento que a EGP tem explorando ao nível internacional nos mais diversos países. Uma mudança de paradigma na qual o componente energético e suas finalidades produtivas, nesta abordagem, são instrumentais para o acesso à água limpa e à cadeia agroalimentar (processamento de insumos agrícolas, conservação de alimentos e introdução da cadeia fria, pasteurização).

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Sustainable Development Goals, SDG) previstos na Agenda das Nações Unidas para 2030 foram incorporados pela Enel Green Power em seu modelo de negócios. E a criação de valor compartilhado é um elemento essencial para garantir, paralelamente à consecução dos objetivos energéticos, uma contribuição concreta para o desenvolvimento socioeconômico dos territórios onde a EGP atua.

Conteúdo relacionado

Este site usa cookies analytics e de perfilamento, próprios e de terceiros, para enviar-lhe publicidade de acordo com as suas preferências. Se quiser saber mais ou optar por excluir todos ou alguns cookies, consulte a política de cookies. Aceite e feche