• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}
{{navigationCta.name}}
3 min.

Enel Green Power inicia a construção de um novo parque eólico em Saragoça

As obras do Campoliva II já estão em andamento, o novo parque eólico de 39 MW entrará em serviço até o final de 2019 e, uma vez totalmente operacional, produzirá mais de 119 GWh por ano.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Na Espanha, a Enel Green Power deu início à construção do novo parque eólico de Campoliva II com capacidade de 39 MW, situado no município de Villamayor de Gállego, província de Saragoça.

A nova planta, cuja construção exigiu um investimento de 39 milhões de euros, entrará em serviço no final de 2019.

 

"O início da construção do Campoliva II é um novo passo para alcançar nossos objetivos sustentáveis e nos ajudará a consolidar o mix energético da Espanha. A Endesa está comprometida em valorizar os abundantes recursos naturais da Espanha promovendo ativamente a inovação e a sustentabilidade em benefício das comunidades locais e de todo o país."

– José Bogas, Chief Executive Officer da Endesa

 

Uma vez operacional, os 15 aerogeradores do novo parque eólico, com capacidade de 2,6 MW cada, serão capazes de gerar 119 GWh por ano, evitando a emissão anual de aproximadamente 79 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

Campoliva II se une aos outros 10 parques eólicos atualmente em construção na comunidade de Aragão, eles integram os 540 MW de energia eólica atribuídos à EGP durante os leilões de energia renovável realizados pelo governo espanhol em maio de 2017.

Estas usinas entrarão em operação até o final de 2019, são elas: Muniesa, Farlan, San Pedro de Alacón, Allueva, Sierra Pelarda e Sierra Costera I, situadas na província de Teruel; e Campoliva I, El Campo, Santo Domingo de Luna, Loma Gorda e Campoliva II na província de Saragoça.

O investimento total na construção desses parques eólicos gira em torno de 373 milhões de euros, juntos eles serão capazes de produzir cerca de 1.200 GWh por ano, evitando a emissão anual de mais de 796 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

Na construção da planta de Campoliva II, a EGP adotará uma variedade de ferramentas e métodos inovadores, incluindo drones para levantamento topográfico, rastreamento inteligente de componentes de turbinas eólicas, bem como plataformas digitais avançadas e soluções de software para monitorar e apoiar remotamente tanto as atividades no canteiro de obras quanto as operações da planta. Estes processos e instrumentos permitirão uma coleta de dados mais rápida, precisa e confiável, melhorando a qualidade da construção e facilitando a comunicação entre as equipes dentro e fora do canteiro de obras.

Seguindo o modelo do "Canteiro de Obras Sustentável", que prevê a instalação de painéis solares fotovoltaicos em todas as obras para satisfazer parte da demanda de energia e a adoção de medidas de economia de água, através da instalação de reservatórios de água e sistemas de coleta de água da chuva. Após a conclusão das obras, os painéis solares e equipamentos de economia de água serão doados à comunidade que abriga a usina.

Após o leilão de energias renováveis realizado em julho de 2017, a EGP recebeu 339 MW de capacidade solar para a construção de novas plantas nas Comunidades Autônomas de Múrcia e Estremadura.

O investimento total na construção dos 879 MW de usinas eólicas (540 MW) e solares (339 MW) concedidas nos dois últimos leilões superará os 800 milhões de euros até 2020.

Estes novos projetos aumentarão a capacidade renovável da EGP em 52,4%.

Este site utiliza cookies analytics e de personalização, próprios e de terceiros, para enviar publicidade de acordo com suas preferências. Ao fechar este banner e navegar nesta página, ou ao clicar em um link ou continuar a navegação de qualquer outra forma, você estará concordando de forma livre, informada e inequívoca com a utilização de cookies. Caso queira obter mais informações ou negar a permissão de todos ou de alguns cookies, consulte nossa Política de Privacidade. Aceitar e fechar