• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}
{{navigationCta.name}}

Panamá, a terra do canal orientada para um futuro sustentável

5 min.

Panamá, a terra do canal orientada para um futuro sustentável

Uma ponte entre dois continentes e um corredor de passagem entre dois oceanos, o Panamá assume um papel cada vez mais central para o futuro do continente americano com um forte engajamento nas energias renováveis.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Há três milhões de anos, o estreito istmo do Panamá emergiu do mar, mudando o mundo para sempre. Ele dividiu um oceano e uniu dois continentes, desencadeando um dos eventos geológicos mais importantes da história do Planeta Terra.

Desde então, esta estreita ponte natural - que conecta a América Central e a do Sul e, ao mesmo tempo, o Ocidente ao Oriente - assumiu um papel de estratégico na história do continente, estabelecendo-se como um local de troca de espécies naturais e como um palco de encontros entre uma ampla diversidade de culturas.

 

Um país projetado para o futuro

Muito antes da capital assumir um papel comercial e econômico relevante, graças ao Canal do Panamá - uma maravilha da engenharia visitada todos os anos por mais de um milhão de pessoas e que sozinha representa 10% do PIB do país -, foi justamente daqui que zarparam os primeiros navios que franquearam a rota florescente das trocas comerciais entre o Velho e o Mundo novo.

Hoje, graças a um sistema de reformas que moldaram um desenvolvimento econômico muito mais equilibrado do que outros países do continente, a Cidade do Panamá é a mais rica da América Central e possui o segundo maior centro financeiro, atrás apenas de Hong Kong.

Privilegiado por um clima caribenho (moderado ao longo do ano), por uma excepcional riqueza de recursos naturais e um por uma singular multiplicidade cultural (incentivada pela atmosfera de tolerância e harmonia típicas de uma área de transição), o Panamá também é um centro turístico mundialmente famoso e conta com uma presença constante de visitantes do mundo todo.

E graças aos investimentos na indústria, infraestruturas e energia, tem mostrado cada vez sua vocação de país moderno projetado para o futuro.

 

Panamá-EGP: uma história repleta de sucesso

Em um país tão cheio de oportunidades, a energia renovável é a força motriz ideal para impulsionar um desenvolvimento mais sustentável e fazer com que o sistema nacional de produção dê um salto qualitativo.

A energia hidrelétrica é a principal fonte de energia renovável no Panamá, mas nos últimos anos a matriz energética experimentou uma diversificação, sobretudo com a introdução das mais recentes tecnologias em energias renováveis. Em particular, a partir de 2014, os investimentos em energia solar e eólica cresceram consideravelmente.

Presente no país como Grupo Enel desde 2006, ano em que o Grupo assumiu a gestão da maior usina de geração panamenha (300 MW), a Usina Hidrelétrica Fortuna, hoje somos o maior produtor solar do país, com um total de 62 MW de capacidade instalada e operacional.

Atualmente, contamos com sete usinas fotovoltaicas no Panamá: a usina fotovoltaica Chiriquí de 12 MW, bem como o complexo solar fotovoltaico Sol Real, composto por cinco plantas (Caldera Solar, Sol de David, Sol Real, Milton Solar e Vista Alegre) distribuídas entre as províncias de Chiriquí e Coclé, que juntas geram um total de 42 MW. Em julho de 2018, concluímos a construção de Estrella Solar, nossa mais recente planta fotovoltaica (8 MW) em território panamenho.

 

Nestlè e First Climate

O sucesso desses projetos nos permitiu aumentar nossa capacidade de estabelecer relações comerciais, superando outras metas ambiciosas. Nos últimos anos, atingimos o maior volume de vendas no setor comercial e industrial do país e batemos o recorde no número de grandes clientes com quais cooperamos, conforme evidenciado pelo Contrato de Compra de Energia (Powe Purchase Agreement) firmado recentemente com a Nestlè.

Recentemente, também assinamos um contrato, ainda no Panamá, para a venda de certificados internacionais de energia renovável (I-RECs) com a First Climate, uma empresa de consultoria alemã com vasta experiência nos mercados de certificação de energia renovável. O acordo representou a primeira transação com uma contraparte de perfil diferente dos chamados grandes clientes, relativa à venda de I-RECs em território panamenho para uma empresa de fornecimento de energia.

A Enel Green Power foi a pioneira do padrão I-REC no Panamá, obtendo autorização das autoridades locais na matéria ainda em novembro de 2019. Posteriormente, as plantas de Fortuna e Estrella Solar foram certificadas conformes os padrões I-REC.

Conteúdo relacionado

Este site utiliza cookies analytics e de personalização, próprios e de terceiros, para enviar publicidade de acordo com suas preferências. Ao fechar este banner e navegar nesta página, ou ao clicar em um link ou continuar a navegação de qualquer outra forma, você estará concordando de forma livre, informada e inequívoca com a utilização de cookies. Caso queira obter mais informações ou negar a permissão de todos ou de alguns cookies, consulte nossa Política de Privacidade. Aceitar e fechar