• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}
{{navigationCta.name}}
5 min.

"Nos Caminhos das Geleiras": fotografia unida à ciência para mostrar os efeitos das mudanças climáticas

Cerca de 500 alunos de escolas romanas na sede da Enel, em Roma, visitarão a exposição de Fabiano Ventura. Um projeto apoiado pela EGP que compara fotos, tiradas mais de 100 anos depois, das maiores geleiras da Terra, destacando o seu derretimento. Uma maneira de conscientizar e educar sobre as mudanças climáticas

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Em 2009, por ocasião do centésimo aniversário da expedição do duque de Abruzzi ao Caracórum, a aventura do fotógrafo Fabiano Ventura começou nas geleiras mais importantes da Terra. Uma jornada que começou nesta cordilheira asiática, passando pelo Cáucaso, pelo Alasca e chegando ao "extremo sul" do mundo, na Terra do Fogo e nos Andes da Patagônia, em 2016. Quatro expedições, apoiadas pela EGP, para destacar os efeitos das mudanças climáticas, comparando as imagens atuais desses picos com as fotografadas pelos exploradores no final século XIX e início do século XX. Imagens que confirmam a teoria de que o aquecimento global causou o derretimento das geleiras, o que, por sua vez, elevou o nível do mar.

Um passeio pela história na exposição "Nos Caminhos das Geleiras", hospedada até 17 de novembro nas salas do Auditorium Enel em Roma. Período em que cerca de 500 crianças e adolescentes das escolas romanas vinculadas ao projeto Play Energy visitarão a exposição, acompanhados pela instalação vídeo-interativa do artista Paolo Scoppola. Uma verdadeira experiência sensorial sobre o maior tema da nossa época.

 

Aumentar a conscientização do público sobre a questão das mudanças climáticas

O objetivo deste projeto, promovido pela Associação Macromicro e idealizado por Ventura, é conscientizar o público, e os mais jovens, sobre os problemas das mudanças climáticas. O forte poder de comunicação das comparações fotográficas, unidas aos resultados de pesquisas científicas, contribui para o desenvolvimento de uma maior conscientização sobre o impacto das atividades antrópicas no clima e no meio ambiente. O projeto foi apoiado pela Enel Green Power desde o início.

 

“Este é um projeto que apoiamos desde 2008 e que combina perfeitamente com nossa visão e nossos valores. As geleiras são, de fato, o termômetro do planeta e permitem entender rapidamente os efeitos das mudanças climáticas no meio ambiente e a necessidade de rapidamente conduzir a sociedade e a economia para a descarbonização."

– Michele Bologna – Head of Communications Global Renewable Energies

 

O projeto foi precedido por uma intensa atividade de estudos e pesquisas preliminares, iniciadas desde 2007, para encontrar informações, diários de viagem, cartografias e imagens nos arquivos históricos relacionados a expedições históricas. A quarta viagem do projeto “Nos Caminhos das Geleiras", em particular, continuou os trabalhos de documentação fotográfica já iniciados nas três expedições anteriores, com o objetivo de enriquecer ainda mais o arquivo produzido por Fabiano Ventura.

 

“Acreditamos que a sustentabilidade de nossos negócios esteja vinculada à sustentabilidade do planeta. Este projeto é um forte candidato à documentação mais importante já levantada sobre as geleiras da Terra, criada por meio da técnica de comparação fotográfica, e é capaz de apresentar o impacto das atividades humanas nas mudanças climáticas de maneira imediata, prática e mensurável. Uma maneira eficaz para contribuir na nossa conscientização e responsabilidade.”

– Giovanni Tula – Head of Innovation & Sustainability, Global Renewable Energies

 

Rumo à expedição nos Alpes italianos

A expedição de Ventura nos picos mais altos do mundo terminará em 2020 nos Alpes italianos, franceses e suíços. Inicialmente, em 2018, a equipe de "Nos Caminhos das Geleiras" vai para o Himalaia. O verdadeiro desafio a nível global continua sendo a tarefa de reduzir as emissões para impedir que a temperatura ultrapasse o limite de 2°C, conforme objetivo do Acordo de Paris e da COP23, atualmente em andamento em Bonn.

Este site utiliza cookies analytics e de personalização, próprios e de terceiros, para enviar publicidade de acordo com suas preferências. Ao fechar este banner e navegar nesta página, ou ao clicar em um link ou continuar a navegação de qualquer outra forma, você estará concordando de forma livre, informada e inequívoca com a utilização de cookies. Caso queira obter mais informações ou negar a permissão de todos ou de alguns cookies, consulte nossa Política de Privacidade. Aceitar e fechar