• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}
{{navigationCta.name}}
4 min.

Iniciada a construção de um parque eólico de 35 MW graças a um contrato de fornecimento com o BBVA

As obras já estão em andamento na nova usina eólica Primoral, que começará a operar até o final de 2019 e ajudará o grupo financeiro BBVA a alcançar seus objetivos de sustentabilidade.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Na Espanha, a Enel Green Power deu início à construção do Primoral, o novo parque eólico de 35 MW localizado no município de Villamayor de Gállego, província de Saragoça.

A construção do Primoral exigiu um investimento de cerca de 34 milhões de euros, financiado por um contrato de fornecimento de longo prazo (Power Purchase Agreement – PPA) que a EGP firmou no ano passado com o grupo financeiro BBVA.

A EGP fornecerá ao BBVA 30% do seu consumo elétrico graças ao novo parque eólico e mais 70% por meio dos certificados verdes.

O Primoral entrará em serviço até o final de 2019 e, uma vez totalmente operacional, suas 10 turbinas eólicas, cada uma com capacidade de aproximadamente 3,4 MW, produzirão cerca de 108 GWh por ano, evitando a emissão anual de quase 71 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

A unidade, que ajudará o BBVA a atingir suas metas de sustentabilidade até 2025 (BBVA's 2025 Commitment), aumentará a capacidade renovável instalada na Espanha e contribuirá para reduzir as emissões de CO2.

 

Objetivos climáticos

O Power Purchase Agreement (contrato de compra de energia) firmado com a EGP se alinha à participação do grupo bancário BBVA na iniciativa RE100, grupo que envolve grandes empresas que decidiram cobrir 100% de sua demanda energética global com energias renováveis.

Além disso, o banco se comprometeu a reduzir 68% das emissões de CO2 geradas até 2025, o equivalente a 90 mil toneladas.

O BBVA consome anualmente cerca de 237 GWh de energia na Espanha, o equivalente às necessidades de aproximadamente 67.500 famílias ou de todas as casas da província de Soria, este montante energético é totalmente fornecido pela Enel Green Power, por um preço fixo e com a devida garantia de origem.

Graças ao novo PPA, a EGP e o BBVA, além de demonstrar um engajamento ainda maior no caminho da sustentabilidade ambiental, também obtêm vantagens econômicas devido ao menor custo da energia. O banco pagará um preço fixo pela eletricidade fornecida pelo parque eólico, e economizará cerca de 10% ao ano.

Também no México, o BBVA assinou um Power Purchase Agreement com a Enel Green Power para atender 80% de sua demanda energética. Além disso, nos EUA, o grupo bancário estabeleceu uma parceria com outro player para alimentar as atividades de seus escritórios no país com 100% de energia verde.

 

Os projetos da EGP em Aragão

O Primoral se une aos onze parques eólicos que a EGP está construindo em Aragão com uma capacidade total de mais de 400 MW. Uma vez em operação, até o final de 2019, as usinas serão capazes de gerar um total de cerca de 1.300 GWh por ano, evitando a emissão anual de 867 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

Em particular, MuniesaFarlanSan Pedro de AlacónAlluevaSierra Pelarda e Sierra Costera I estão localizadas na província de Teruel e Campoliva IEl CampoSanto Domingo de LunaLoma GordaCampoliva II e Primoral estão localizadas na província de Saragoça.

Destas plantas, dez fazem parte dos 540 MW – Campoliva II e Primoral não estão incluídas – atribuídas à EGP em maio de 2017, que também incluem as usinas que serão construídas na Andaluzia, Castela e Leão, Castela-Mancha e Galícia.

Após o leilão de energias renováveis realizado em julho de 2017, a EGP recebeu 339 MW de capacidade solar para a construção de novas unidades em Múrcia e Estremadura.

O investimento total na construção dos 879 MW de usinas eólicas (540 MW) e solares (339 MW) concedidas nos dois últimos leilões superará os 800 milhões de euros até 2020.

Estes novos projetos aumentarão a capacidade renovável da EGP em 52,4%.

Na construção da unidade de Paradela, a EGP adotará uma variedade de ferramentas e métodos inovadores, incluindo drones para levantamento topográfico, rastreamento inteligente de componentes de turbinas eólicas, bem como plataformas digitais avançadas e soluções de software para monitorar e apoiar remotamente as atividades das obras e o comissionamento das instalações. Estes processos e instrumentos permitirão uma coleta de dados mais rápida, precisa e confiável, melhorando a qualidade da construção e facilitando a comunicação entre as equipes dentro e fora das instalações.

Seguindo o modelo de "Canteiro de Obras Sustentável", que prevê a instalação de painéis solares fotovoltaicos em todas as obras para satisfazer parte da demanda energética e a adoção de medidas de economia de água, por meio da instalação de reservatórios de água e sistemas de coleta da água da chuva. Após a conclusão das obras, os painéis solares e equipamentos para a economia de água serão doados à comunidade que abriga a usina.

Este site utiliza cookies analytics e de personalização, próprios e de terceiros, para enviar publicidade de acordo com suas preferências. Ao fechar este banner e navegar nesta página, ou ao clicar em um link ou continuar a navegação de qualquer outra forma, você estará concordando de forma livre, informada e inequívoca com a utilização de cookies. Caso queira obter mais informações ou negar a permissão de todos ou de alguns cookies, consulte nossa Política de Privacidade. Aceitar e fechar