• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}

Parque Solar Ituverava, Brasil

Parque Solar Ituverava, Brasil

Em operação

{{item.label}}
{{ item.title }}
{{ item.content }}
O parque

Parque Solar Ituverava

O parque solar Ituverava encontra-se próximo a Tabocas do Brejo Velho, uma cidadezinha conhecida pela grande presença de plantações de bambu, a cerca de 800 quilômetros de Salvador, capital do estado da Bahia. Funcionando desde setembro de 2017, o parque é um dos maiores da América do Sul e ocupa uma área de 579 hectares, o equivalente a 700 campos de futebol. Os seus 850.000 painéis solares são capazes de gerar 550 GWh por ano, uma quantidade de energia suficiente para satisfazer as necessidades de 268.000 famílias, evitando assim a emissão de 318.000 toneladas de CO2 por ano.

icon

Tecnologia

Solar

icon

Status

Em operação

icon

Capacidade

254 MW

icon

Produção de energia

550 GWH

icon

Emissões de CO2 evitadas

318.000 toneladas de CO2 por ano

icon

Eletricidade equivalente

268.000 famílias por ano

Linha do tempo

Marcos

Impacto nas comunidades locais

O parque de Ituverava foi erguido em uma área de biodiversidade bastante delicada, com uma alta concentração de espécies endêmicas e uma grave perda de habitat natural causada pela atividade humana. Com o objetivo de proteger a população local de pássaros, foram instalados poleiros e ninhos artificiais, para atrair espécies de pássaros que espalham sementes, cuja taxa de reprodução atualmente está, de fato, em aumento.

Outras espécies se beneficiam da presença do parque solar de Ituverava. O Biodiversity Dissemination Project for the Community Monitoring (Projeto de difusão da biodiversidade para o monitoramento da comunidade) registrou 11.026 espécies de lepidópteros, 9.464 de formigas, 5.138 de pássaros e 244 de mamíferos (com exceção dos morcegos). O parque é um exemplo perfeito de como uma central solar pode representar uma grande vantagem tanto para a biodiversidade quanto para a comunidade local.

Ituverava é um parque sustentável. Aplica os princípios da economia circular na gestão da água: foram instalados sistemas para a recuperação do ciclo da água produzida nas unidades de resfriamento, da água da chuva e da água das unidades de ar-condicionado. Contribuímos também para a adoção de novos sistemas agroflorestais de restauração ecológica. O projeto Compostar, por exemplo, valoriza os resíduos orgânicos produzidos no parque e reduz as emissões de gás. O Vegetation Recomposition Program (Programa de Recomposição da Vegetação), por sua vez, baseia-se em uma técnica antierosão e de renaturalização que inclui a plantação de vegetação autóctone.

Por fim, doamos 18 painéis solares obsoletos para a alimentação de uma bomba de água destinada a 39 famílias da comunidade local que utilizavam uma bomba a diesel. 

Contatos

Informações sobre proprietários de terras

Informações à imprensa

Conteúdos relativos