• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}
{{navigationCta.name}}

Espanha: Uma jornada pelas novas plantas que entraram entrando em operação em 2019

5 min.

Espanha: Uma jornada pelas novas plantas que entraram entrando em operação em 2019

Uma jornada "virtual" para descobrir as novas usinas da Enel Green Power que em 2019 entraram em operação na Espanha e que nos permitem adicionar 851 MW de energia eólica e solar no país.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Do sol escaldante de Múrcia e Extremadura ao vento que sopra fortemente na região da Galícia, Aragão, Castela e Leão: a Espanha é o país das energias renováveis.

E a disponibilidade abundante dos recursos naturais é complementada por uma legislação favorável e um plano de energia ambicioso: atingir 74% de energia renovável até 2030.

A Enel Green Power, que com suas 19 novas plantas em operação já conta com uma presença significativa no país, sempre esteve na linha de frente apoiando o governo ibérico na realização de seus objetivos de transição energética. Nos últimos meses de 2019, aceleramos na construção de um verdadeiro desenvolvimento sustentável.

Em setembro, conectamos à rede o parque solar de Totana, com 85 MW em Múrcia.

Em outubro, por sua vez, entrou em operação o parque eólico de Sierra Costera I, com 50 MW, a maior instalação desse tipo na região de Aragão.

Por fim, entre novembro e dezembro, a Enel Green Power conectou à rede mais de 10 usinas sustentáveis, com capacidade total de aproximadamente 390 MW. Destes, 252 MW provêm da tecnologia solar, enquanto os 138 MW remanescentes vêm dos recursos eólicos.

 

Na Península Ibérica, a energia eólica tem crescido cada vez mais

A primeira parada da nossa jornada é Aragão, onde, na província de Saragoça, conectamos parques eólicos à rede Campoliva I, com cerca de 35,99 MW, Campoliva II, com 39,37 MW e Primoral, com 34,65 MW.

Campoliva I, cuja construção foi realizada em tempo recorde e exigiu um investimento de 40 milhões de euros, é composta por 11 turbinas que poderão gerar 108 GW/h por ano, evitando a emissão anual de cerca de 71 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

Campoliva II é composta por 15 turbinas eólicas e será capaz de gerar 119,43 GW por ano, evitando a emissão anual de 78.500 toneladas de CO2 na atmosfera.

Primoral ajudará o BBVA a atingir seus objetivos de sustentabilidade até 2025 e é composto por 10 turbinas eólicas que produzirão quase 108 GW por ano e evitarão a emissão anual de 71 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

Por sua vez, a Galícia, mais especificamente na província de Lugo, a EGP conectou à rede Reformado de Pena Ventosa, com 8 MW, nosso primeiro parque eólico a entrar em operação na comunidade autônoma espanhola. O parque, que exigiu um investimento de 9,3 milhões de euros, com suas 4 turbinas eólicas de 2 MW cada, poderá evitar a emissão de 16.500 toneladas de CO2 na atmosfera.

Já na comunidade autônoma de Castela e Leão, chegamos à província de Burgos, onde, o parque eólico de Ampliación los LLanos, com 20 MW, começou a produzir energia nos municípios de Cogollos e Hontoria de la Cantera. A usina, cuja construção exigiu um investimento de 23 milhões de euros, é composta por 10 turbinas de 2 MW cada e poderá gerar 78 GW/h por ano, evitando a emissão de cerca de 51.500 toneladas de CO2 na atmosfera.

 

O sol que ilumina a Espanha

A última etapa da nossa "jornada" termina na região da Extremadura, onde a Enel Green Power conectou à rede 6 novos sistemas fotovoltaicos de 42 MW cada, totalizando 252 MW.

As novas usinas fazem parte dos 339 MW conquistados pela EGP no leilão de 2017.

As três plantas em Logrosán – BaylioDehesa de los Guadalupes Furatena – são compostas por aproximadamente 372 mil painéis fotovoltaicos e poderão gerar mais de 240 GW/h por ano, evitando a emissão de 158 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

Por sua vez, as outras três plantas em Casas de Don Pedro e Talarrubias – JavalvillarValdecaballeros Castilblanco – são compostas por mais de 372 mil módulos solares que poderão gerar cerca de 250 GWh por ano, evitando a emissão anual de mais de 164 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

 

De olhos sempre abertos à sustentabilidade

A construção das usinas baseou-se no modelo de canteiro de obras sustentável da Enel Green Power, que prevê a instalação de painéis solares fotovoltaicos no local a fim de cobrir parte das necessidades energéticas. Outras medidas para economizar água também foram implementadas através da instalação de reservatórios hídricos e sistemas de coleta da água da chuva. Após a conclusão das obras, tanto os painéis fotovoltaicos quanto os equipamentos utilizados na economia de água serão doados às comunidades locais.

Segundo o modelo de criação de valor compartilhado (CSV) adotado pela Enel Green Power, que visa combinar desenvolvimento de negócios e as necessidades das comunidades locais, realizamos projetos de sustentabilidade voltados à geração de empregos.

Como esses exemplos comprovam, a Enel Green Power apenas confirma o trabalho realizado nos anos anteriores, investindo em novos projetos para apoiar a transição energética. Metas que permanecerão na linha de frente tanto para o ano novo quanto para aqueles que virão depois.

Conteúdo relacionado

Este site utiliza cookies analytics e de personalização, próprios e de terceiros, para enviar publicidade de acordo com suas preferências. Ao fechar este banner e navegar nesta página, ou ao clicar em um link ou continuar a navegação de qualquer outra forma, você estará concordando de forma livre, informada e inequívoca com a utilização de cookies. Caso queira obter mais informações ou negar a permissão de todos ou de alguns cookies, consulte nossa Política de Privacidade. Aceitar e fechar