• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}

Parque Eólico Lagoa dos Ventos

O parque representa uma das maiores infraestruturas de energia do Brasil e será o motor sustentável para todo o setor econômico e de produção da América Latina.

Sobre a instalação

Os ventos estão soprando com força no Brasil

Composto por 230 turbinas eólicas, o parque eólico de Lagoa dos Ventos, localizado no nordeste do Piauí, é um projeto recordista. Ele é atualmente o maior empreendimento eólico em construção na América do Sul e o maior da Enel Green Power no mundo. Quando estiver em pleno funcionamento, a instalação de 716 MW poderá gerar mais de 3,3 TWh ao ano, evitando a emissão de mais de 1,6 milhão de toneladas de CO2 na atmosfera.

Tecnologia

Eólica

Status

Em construção

Capacidade

716 MW

Produção

3.3 TWh

Emissões de CO2 evitadas

1,6 milhão de toneladas em 12 meses

 

“Lagoa dos Ventos é um projeto emblemático da Enel Green Power por vários motivos. É o maior projeto eólico da EGP no mundo, assim como a maior instalação eólica atualmente em construção na América do Sul, que demonstra o potencial do Brasil e da região em geração de energia renovável e o papel crucial que a nossa empresa tem na transição energética global, o que nos deixa muito orgulhosos. Os desafios da construção são proporcionais à escala e à importância desse empreendimento, e graças à dedicação de todos os envolvidos, conseguimos avançar com segurança e inovação, em um modelo de trabalho que certamente nos ajudará a estabelecer novos padrões de eficiência e adotar novas tecnologias em projetos futuros.”
Roberta Bonomi, Diretora da EGP no Brasil
Linha do tempo

Conquistas

Devido à grande escala do projeto, a EGPBrasil desenvolveu um layout de instalação inovador, com base em uma avaliação de recursos eólicos de alta resolução para otimizar a produção de energia do empreendimento. Além disso, a EGPBrasil está usando uma variedade de ferramentas e métodos inovadores para construir o parque de Lagoa dos Ventos, como sensores de proximidade em máquinas para aumentar a segurança do local, drones para análise topográfica, rastreamento inteligente de componentes de turbinas eólicas, além de soluções de plataformas e software digitais avançados para monitorar e apoiar remotamente as atividades do local e o comissionamento do parque. Esses processos e ferramentas permitem uma coleta de dados mais rápida, precisa e confiável, melhorando a qualidade da construção e facilitando a comunicação entre equipes locais e externas.

Início das atividades relacionadas à Connection Bay

Localizada a 100 km do parque, a Connection Bay fica na cidade de São João do Piauí e faz a conexão entre a linha de transmissão de 500 kv proveniente da subestação do parque eólico e a subestação de transmissão de energia que integra o Sistema Interligado Nacional (SIN), a energia gerada no parque é distribuída, contribuindo para o aumento da produção a partir de fontes limpas no Brasil e para sua diversificação de energia.

Início da construção da subestação de 138 kV e início da construção da linha de transmissão de 138 kV / início da construção da linha de transmissão de 500 kV

A grandeza do parque eólico de Lagoa dos Ventos exigiu a construção de duas linhas de transmissão, uma de 500 kv e outra de 138 kv. Juntas, as duas linhas cobrem 118 km, mais do que toda a rede ferroviária metropolitana de São Paulo, a maior cidade brasileira, com 101 km de extensão.

A linha de transmissão compreende um total de 191 torres e é a maior construída pela Enel no mundo. Além do início das obras das duas linhas de transmissão, esta etapa, iniciada em maio, também incluiu o início das obras da subestação de 138 kv. A construção de uma subestação desse tipo leva, em média, 12 meses e é essencial para o avanço do projeto como um todo. Em termos gerais, a função da subestação é receber a energia gerada pelas torres eólicas, em um nível de tensão de 34,5kV, e elevá-la a uma tensão compatível com a subestação do Sistema Interligado Nacional (SIN). É no coração da subestação, nos transformadores de potência, que ocorre a elevação da tensão fornecida pelas turbinas eólicas ao nível de tensão da linha de transmissão.

Início da construção da subestação de 500 kV e início da construção da rede de média tensão

A subestação de 500 kv será composta por três grandes transformadores e a rede de média tensão cobrirá 290 km no total, com cerca de 2.500 postos

Primeiras entregas de turbinas eólicas no local

Esta etapa do projeto acontece gradualmente e dura muitos meses. No parque Lagoa dos Ventos, o transporte dos componentes que compõem as turbinas eólicas exigirá, no total, mais de 6.200 viagens de caminhões. Parte do equipamento é importada e percorre 836 km entre o porto de Salvador, na capital do estado da Bahia, e o local das obras. Enquanto isso, as torres de concreto são construídas no município de Lagoa do Barro, na área de influência do parque eólico de Lagoa dos Ventos.

A montagem das 230 torres que compõem o parque de Lagoa dos Ventos começou em outubro de 2019. Cada torre conta com 118 metros de altura e é dividida em 6 partes principais (seções de montagem). Cada torre pesa pouco mais de 1.100 toneladas e sua montagem completa dura aproximadamente duas semanas, com o uso de um guindaste especial para que os trabalhadores possam concluir a montagem dos componentes em alturas tão elevadas. Enquanto isso, cada turbina (motor, hélices, base e outras peças) pesa aproximadamente 942 toneladas. Considerando as 230 turbinas eólicas que serão montadas no total em Lagoa dos Ventos, o peso acumulado é de 216.000 toneladas, correspondendo a 36.000 elefantes africanos pesando 6 toneladas cada. Para montar as torres e turbinas eólicas, serão usados seis modelos diferentes de guindastes.

Início das atividades relacionadas à Connection Bay

Localizada a 100 km do parque, a Connection Bay fica na cidade de São João do Piauí e faz a conexão entre a linha de transmissão de 500 kv proveniente da subestação do parque eólico e a subestação de transmissão de energia que integra o Sistema Interligado Nacional (SIN), a energia gerada no parque é distribuída, contribuindo para o aumento da produção de energia a partir de fontes limpas no Brasil e para sua diversificação de energia. 

Estado do progresso

Construção* 57%

Construção* 57% Fase I (191 WTGs): 66% Fase II (39 WTGs): 3%

Colaboradores** 2,360

Colaboradores** 2,360 Número total de trabalhadores

Comunidade 1,175

Comunidade 1,175 Número total de trabalhadores das comunidades locais (50% do total)

Horas 5.8

Horas 5.8 Milhões de horas de trabalho

* Última atualização - 19 de abril de 2020

** Última atualização - 21 de março 2020, antes da pandemia de Covid-19

Conteúdo relacionado

Este site usa cookies analytics e de perfilamento, próprios e de terceiros, para enviar-lhe publicidade de acordo com as suas preferências. Se quiser saber mais ou optar por excluir todos ou alguns cookies, consulte a política de cookies. Aceite e feche