• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}

Agrivoltaico: um novo modelo de utilização do solo à sombra dos parques fotovoltaicos

7 min.

Agrivoltaico: um novo modelo de utilização do solo à sombra dos parques fotovoltaicos

Muitas usinas fotovoltaicas em terra já estão sendo projetadas a partir de modelos operacionais de "baixo impacto", capazes de portar benefícios positivos para o solo, ecossistema, território e agricultura. O setor fotovoltaico está passando por uma fase de rápido crescimento a nível global, conferindo enormes oportunidades para integrar modelos operacionais de baixo impacto, do projeto à desativação das unidades. Eis o projeto InSPIRE, concebido pelo National Renewable Energy Laboratory (NREL) que, em parceria com a Enel Green Power, está levando sustentabilidade ambiental às usinas solares do futuro.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Estamos nos Estados Unidos, mais especificamente na usina fotovoltaica da Enel Green Power de Aurora, Minnesota. Em meio à grama alta do parque, é possível entrever um grupo de capacetes amarelos se movendo entre os painéis fotovoltaicos: eles coletam amostras de solo, analisam plantas e vegetação observando o comportamento dos insetos polinizadores que pairam sobre suas cabeças.

São os pesquisadores do National Renewable Energy Laboratory (NREL), o laboratório do Departamento de Energia dos EUA dedicado à pesquisa das energias renováveis e – junto a Enel Green Power – estão trabalhando na criação de um parque solar "de baixo impacto" do futuro.

As usinas solares são, sem sombra de dúvidas, uma fonte insubstituível de energia sustentável. Ao mesmo tempo, porém, elas não estão isentas de causar impacto no solo, além de ocupar espaços tradicionalmente destinados à agricultura. 

É possível projetar usinas de energia solar concebidas para ter um impacto baixo ou até mesmo um impacto positivo no solo? 

 

O valor da terra

Até 2030, as usinas solares dos EUA poderão atingir uma área total de 800 mil hectares (aproximadamente 1.976.844 acres). Quase 10 vezes o tamanho da cidade de Nova York.

Trata-se de uma área gigantesca que, além de abrigar painéis solares, no futuro poderá ser utilizada para melhorar a fertilidade do solo, reter água, alimentar espécies nativas, produzir alimentos e tornar as unidades energéticas ainda mais eficientes.

Por esse motivo, em três de suas plantas em Minnesota, Atwater, Chisaco e Eastwood, a Enel Green Power recebe pesquisadores da NREL envolvidos no projeto InSPIRE, a sigla para Innovative Site Preparation and Impact Reductions on the Environment, responsável por estudar o cultivo de plantas nativas e plantas de jardinagem em meio aos painéis solares e assegurar a vida de insetos polinizadores. 

 

"O desenvolvimento da unidade solar de baixo impacto, que inclui a presença de vegetação nativa e insetos polinizadores, oferece inúmeras vantagens ao ecossistema, à eficiência operacional, promovendo ainda uma relação positiva com os stakeholders."

– Marcus Krembs, Responsável de Sustentabilidade da Enel Green Power América do Norte

 

As abelhas nativas são essenciais ao meio ambiente

No passado, a construção de uma usina solar de grandes dimensões implicava a alteração radical do solo através de processos de terraplanagem e posterior cobertura com cascalho ou grama.

Com a energia solar de "baixo impacto" projetada pela NREL e Enel Green Power, atualmente a construção de uma unidade é muito menos invasiva. Após a instalação dos painéis fotovoltaicos, por exemplo, são cultivadas plantas nativas, flores e outras plantas medicinais responsáveis por criar um habitat para abelhas nativas e outras espécies polinizadoras, favorecendo o ecossistema circundante.

As abelhas nativas – bem como borboletas e mariposas – transportam o pólen de uma flor para outra, permitindo a polinização e a formação de frutos. Este sistema é vantajoso para as fazendas vizinhas e para as culturas que dependem da polinização, como a soja, que pode assim se beneficiar não apenas da energia renovável produzida pela planta, mas também de sua sustentabilidade. 

 

"É incrível a rapidez com que o conhecimento desse importante projeto se difundiu. Todos os países em que operamos desejam obter informações mais detalhadas sobre esse tipo de abordagem."

– Jordan Macknick, Pesquisador responsável pelo projeto InSPIRE

 

A presença de plantas nativas também é benéfica para a qualidade do solo. Comparada à grama e ao cascalho, a flora local retém melhor a água em caso de fortes chuvas ou secas prolongadas, além de melhorar o estado e a produtividade do solo.

E não é só isso, uma vez que a vegetação nativa, se selecionada adequadamente, também requer um nível menor de manutenção e corte em comparação com as abordagens tradicionais. Trata-se de mais uma vantagem nos custos de manutenção. 

{{ item.title }}
{{ item.content }}

O agrivoltaico é o futuro

Em Minnesota e outros seis estados americanos, a equipe do InSPIRE deu início ao cultivo de nove diferentes misturas de sementes a fim de estudar seu impacto na temperatura e na umidade do solo. Ao mesmo tempo, os pesquisadores estão tentando descobrir se a presença das plantas influi na produção e manutenção de energia ao longo dos anos. 

Contudo, os objetivos do projeto são muito mais ambiciosos. Em Massachusetts, Arizona e Oregon, pesquisadores estão estudando como as usinas solares "de baixo impacto" podem ser integradas à agricultura.

Embora possa parecer estranho à primeira vista, a sombra dos painéis solares permite um uso mais eficiente da água, além de proteger as plantas do sol nas horas mais quentes.

Os pesquisadores batizaram esse novo método de cultivo de agrivoltaico, um neologismo eficaz que combina agricultura e energia fotovoltaica.

O certo é que, tal como confirmado pelos pesquisadores, o sistema agrivoltaico não pode ser aplicado em monoculturas de grande escala, onde são necessárias grandes superfícies e maquinário pesado, não obstante, os primeiros resultados das pesquisas sugerem que, a longo prazo, os painéis solares podem ser úteis para aumentar o rendimento de algumas culturas nas áreas mais quentes.

No Arizona, por exemplo, a colheita de tomates-cereja cultivados à sombra de painéis solares reduziu a demanda por água e mais que dobrou a produção.

Devido aos resultados animadores, os pesquisadores afirmam que o futuro agrivoltaico ajudará a compensar o impacto das condições climáticas extremas, reduzindo o uso de águaaumentando a produção de alimentos e limitando os efeitos negativos do calor nos painéis solares.

Além disso, para os agricultores, o mix entre geração solar e cultivo poderia garantir uma fonte adicional de renda permanente, além de estabelecer uma relação positiva de longo prazo com os stakeholders. 

 

O futuro da energia solar segundo a Enel Green Power

Como já reconhecido peloobjetivo de desenvolvimento sustentável (Sustainable Development Goals, SDGs) Nº 17 da agenda das Nações Unidas para 2030, a Enel Green Power está plenamente consciente de que a sustentabilidade só pode ser alcançada se o setor privado, o setor público e os centros de pesquisa, tal como o NREL, trabalharem em conjunto para um ecossistema de soluções inovadoras.

Não obstante, além de projetos como o InSPIRE, a Enel Green Power está trabalhando em seu PV Environmental Mitigation visando reduzir o impacto ambiental de seus parques solares, convidando empresas iniciantes, universidades e agentes inovadores.

E não é só isso, uma vez que a Enel Green Power somente este ano já implementou em 182 unidades, cobrindo 2/3 de toda a produção, o modelo de unidade sustentável, um projeto destinado a tornar suas usinas cada vez mais sustentáveis nas operações de O&M, reduzindo impactos ambientais e maximizando os benefícios sociais e a eficiência das unidades. O objetivo é implantar este modelo em toda a frota até 2020.

Graças a esses projetos, a Enel Green Power está comprometida em tornar seus sistemas solares cada vez mais sustentáveis, favorecendo a biodiversidade, o solo e a agricultura. 

Conteúdo relacionado

Este site usa cookies analytics e de perfilamento, próprios e de terceiros, para enviar-lhe publicidade de acordo com as suas preferências. Se quiser saber mais ou optar por excluir todos ou alguns cookies, consulte a política de cookies. Aceite e feche