• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}
4 min.

Energia renovável para um hidrogênio com emissão zero: o novo desafio da Enel

Um futuro sustentável também é alcançado pela produção de hidrogênio com emissão zero, graças à eletrólise alimentada por energia de fontes renováveis.

{{ item.title }}
{{ item.content }}

Produzir hidrogênio de maneira ecológica e econômica: esse é o desafio a ser enfrentado para explorar o elemento mais abundante do universo para a descarbonização dos setores hard to abade. Para superar esse desafio, a Enel decidiu mais uma vez usufruir do grande potencial das fontes renováveis para experimentar uma produção de hidrogênio com zero emissões de carbono.

 

Hidrogênio, entre potencial e limitações

O uso de hidrogênio no sistema de energia é de fundamental importância na transição energética para uma economia totalmente descarbonizada. Atualmente, quase toda a produção de H2 é destinada exclusivamente ao uso industrial e 98% dela é proveniente de combustíveis fósseis, causando emissões de CO2 relativas a mais de 830 milhões de toneladas por ano, igual à soma das emissões anuais da Itália, França e Holanda.

A produção de hidrogênio por eletrólise, o processo pelo qual a molécula de água (H2O) é dividida em seus dois componentes, hidrogênio e oxigênio, oferece a possibilidade de anular a pegada de carbono do hidrogênio, se a eletricidade que alimenta o processo for proveniente de fontes renováveis. Contudo, este é um processo extremamente caro nos dias atuais, que requer o uso de grandes quantidades de energia. Basta pensar que, para atender à demanda atual de hidrogênio, de acordo com o relatório de 2019 da International Energy Agency (IEA, a Agência Internacional de Energia) "The future of Hydrogen", exigiria uma quantidade de eletricidade quase igual à produção anual da União Europeia (3.600 TWh ao ano).

 

Energia renovável para um hidrogênio com emissão zero

O crescimento das energias renováveis e o aumento da produção de eletrolisadores, com economia de escala relativa, poderiam revolucionar completamente esse cenário. A produção renovável de hidrogênio pode ser competitiva até 2030, graças a uma maior disponibilidade de energias renováveis, a uma redução nos custos de FER e de eletrolisadores.

Graças à Enel, nos próximos anos o hidrogênio verde poderá assumir um papel estratégico nos sistemas de energia. A Enel está avaliando projetos dedicados ao uso do hidrogênio renovável como um elemento-chave para alcançar a descarbonização de setores industriais hard-to-abate, como os do refinamento de derivados de petróleo, da indústria química ou da siderurgia. Se, por meio da eletrificação direta, e graças a fontes renováveis de geração de eletricidade, a maior parte do uso final da energia puder se tornar livre de carbono até 2050, o hidrogênio verde poderá ser a fonte de energia com emissão zero útil para descarbonizar a quantidade remanescente.

Este site usa cookies analytics e de perfilamento, próprios e de terceiros, para enviar-lhe publicidade de acordo com as suas preferências. Se quiser saber mais ou optar por excluir todos ou alguns cookies, consulte a política de cookies. Aceite e feche