• {{currentSearchSuggestions.title}}
  • {{currentSearchSuggestions.title}}

Usina geotérmica Chiusdino, Itália

Usina geotérmica Chiusdino, Itália

Em operação

{{item.label}}
{{ item.title }}
{{ item.content }}
A planta

Usina geotérmica de Chiusdino

O município de Chiusdino, ao lado dos municípios de Pomarance e Castelnuovo Val di Cecina, constitui o triângulo histórico para a exploração de energia geotérmica na região da Toscana, que tem uma história milenar.

A usina de Chiusdino foi construída em 2011, e é composta por uma unidade turboalternadora de 20 MW capaz de gerar, quando em plena operação, até 150 milhões de quilowatts-hora de energia por ano, economizando cerca de 31 mil TEP (toneladas equivalentes de petróleo). A turbina é alimentada por cerca de 130 T/h de vapor geotérmico proveniente de quatro poços locais. A planta representa excelência em nível de integração ambiental e de inovação tecnológica.

icon

Tecnologia

Geotérmica

icon

Status

Em operação

icon

Capacidade operativa

18,5 MW

icon

Produção de energia

133,4 GWh (Energia Líquida 2021)

icon

Emissões de CO2 evitadas

56,9 kton (Coeficiente de Energia Set-21: 426,64 ton / GWh)

icon

Demanda energética

Equivalente a mais de 1.200 famílias toscanas

Linha do tempo

Marcos

{{item.label}}
{{ item.title }}
{{ item.content }}

Impacto nas comunidades locais

A usina e todo o programa de perfuração de poços e dutos de vapor foram resultado de um processo participativo junto às autoridades e comunidades locais para garantir o desenvolvimento do setor de energia geotérmica com técnicas modernas, capazes de garantir saúde aos cidadãos e respeito total ao meio ambiente.

Trata-se de uma planta sustentável onde, entre outras coisas,  se pratica a reutilização de materiais, a reciclagem de resíduos, a recuperação e a recirculação dos óleos em uso.

Em 2019, foi concluída a planta de aquecimento urbano do Município de Chiusdino, que utiliza vapor geotérmico para aquecer casas, lojas e oficinas de artesanato, sem emissões de CO2 e poeiras finas de caldeiras e aquecedores.

Promovemos, paralelamente à planta, junto ao Co.Svi.G (Consortium for the Development of Geothermal Areas – Consórcio para o Desenvolvimento de Áreas Geotérmicas) em colaboração com a Universidade de Florença, uma experimentação para o cultivo de algas espirulina utilizando calor geotérmico e CO2 isento de carbono, abrindo assim importantes perspectivas para o desenvolvimento industrial deste setor.

Nessa àrea são cultivados, também, nas estufas geotérmicas: manjericão, tomate e floricultura em viveiros. 

Contatos

Itália

Business development

Conteúdos relativos